Onde estás?

Depois que Adão pecou, a sua comunhão com Deus foi quebrada. Ele agora tinha consciência de ter feito a maior besteira da sua vida: desobedecer a ordem do seu Amigo, que toda à tarde vinha conversar com ele, na viração do dia. Um certo pavor começava a envolver Adão, o cheiro de morte estava bem próximo. Agora, ele podia refletir e entender o peso da Palavra de Deus, e quão duro estava sendo não ter atentado para ela, que disse que no dia em que ele comesse da árvore do conhecimento do bem e do mal, ele morreria.

Antes, a vida de Adão tinha um sentido e isso devia-se à presença imediata de Deus em sua casa, no Éden. E agora? A sua consciência o atormentava, a desobediência, no início apresentada como algo atraente, vinha carregada de consequências, e a voz da condenação não podia calar. De repente, Deus aparece e não encontra Adão no lugar de sempre, no lugar de deleite, no lugar de comunhão. Deus, com a voz embargada, clama pela presença de Adão. Adão, onde estás? Adão estava escondido. Estava com medo. Estava nu. A um alto preço, tinha conquistado a sua independência, era dono de suas próprias escolhas, escolheu comer do fruto atrativo aos seus olhos, escolheu a morte.

Hoje, a história continua a se repetir. Cada homem, à semelhança de Adão, tem escolhido os seus próprios caminhos, tem preferido trilhar o caminho da independência, ainda que Deus tenha advertido em sua Palavra que são caminhos de morte. “Há caminho que ao homem parece direito, mas no final é caminho de morte”. O homem, apesar de sua autossuficiência tem vivido sob o manto do medo, é tanto assim, que teme a morte, faz o impossível para salvar a sua vida em situações de perigo. Por que os homens continuam, como Adão, tendo medo de Deus e se escondendo, apesar de justificar sempre o seu pecado e dizer que é a melhor escolha? Sempre nos deparamos com polêmicas sobre “pecado”. Os homens herdaram de Adão a raiz da rebeldia, querem fazer suas próprias escolhas, independentes dos princípios da Palavra de Deus. Continuam, como Adão, descrendo que cada atitude de desobediência terá uma amarga consequência. Ora, a santidade de Deus é inquestionável, ninguém poderá se manter em pé na presença de Deus, diante do brilho da sua glória de qualquer forma. A Bíblia diz que Ele é fogo consumidor, é intolerante a qualquer pecado. Os malfeitores temem os juízes terrenos, por que não temeriam ao Juiz dos juízes, ao Juiz de toda a Terra, no resplendor da sua santidade?
Diante de Deus, não pode se manter nenhum vestígio de pecado, por isso, o homem pecaminoso tem medo e foge da sua presença. Mas, o mesmo Deus zeloso e santo contra o pecado, com a sua graça e misericórdia, providenciou uma vestimenta de pele para Adão. Hoje, Deus continua sendo o mesmo, entregou o seu Filho único, Jesus, para que com o seu sangue derramado na cruz, pudesse cobrir todo o pecado daquele que crê. Jesus é a solução para reconciliar o homem com Deus e levá-lo de volta a uma posição de comunhão e intimidade com Deus, tal qual Adão antes da queda.

“…tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe pois a vida, para que vivas”. Dt 30:19

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *