Glorificando na terra!

O evangelho de João traz uma das mais belas passagens da Bíblia, a oração sacerdotal de Jesus. Em um momento de comunhão com os seus discípulos, na véspera da sua crucificação, Jesus se dirige ao Pai em oração e revela o que está em seu espírito. Com menos de vinte quatro horas para deixar o seu corpo físico, Jesus encontra-se no clímax da sua existência neste mundo e deixa transparecer o que está no seu coração, em relação ao propósito para o qual veio ao mundo. Nem todos cumprem a sua missão de vida, mas Jesus é exemplo de um homem que cumpriu plenamente aquilo para o qual esteve nesta terra, por isso, deve ser o nosso modelo inconfundível.

“Glorifiquei-te na terra”. Com isso, Jesus estava dizendo: Pai, você me enviou ao mundo com uma missão, e cumpri a obra para a qual Tu me enviaste, completei a carreira, tudo está consumado.  Não há nada melhor do que se viver o plano de Deus, do  que saber que se está vivendo a vida que agrada a Deus. Jesus veio com o propósito de salvar os homens de seus pecados e, assim, glorificar a Deus ao fazer a sua vontade. Por amor suportou a cruz, como um Cordeiro mudo apresentou o maior de todos os sacrifícios para resgatar a muitos.

Muitos vacilam sobre qual a  vontade de Deus para a sua vida em particular. Mas a vontade de Deus, de uma forma geral, está bem clara em sua Palavra, a Bíblia Sagrada. Em nossas limitações humanas, temos um objetivo em tudo que fabricamos, e isso não poderia ser diferente com o Criador do universo. Ele não poderia criar o homem, ou qualquer outra coisa, de forma aleatória e sem propósito. Não caímos neste mundo acidentalmente, mas Deus nos colocou aqui com o propósito nobre que é glorificar o seu nome. “…e os que criei para minha glória. Esse povo que formei para mim, para que me desse louvor”. Is  43.7,21.  ” Quando fugimos desse propósito não vivemos plenamente, um sentimento de insatisfação sempre nos acompanha, ainda que tenhamos todos os bens que a alma possa desejar. O espírito do homem veio de Deus e não há nada que possa preenchê-lo, a não ser o próprio Deus. Sem a presença perene do Espírito Santo na vida do homem, haverá sempre a falta da verdadeira alegria, e marcas de dores sempre estarão presentes. Fora da vontade de Deus, o homem sempre caminha cambaleante sem direção, semelhante a um navio  à deriva no oceano. Uma vida que não se submete e ignora o maior de todos os  propósitos para a sua vida, pode até saber de onde veio, mas não sabe por que está aqui nem para onde vai.

Jesus soube glorificar a Deus com a sua vida. Humildemente, Ele se sujeitou à vontade do Pai e se submeteu a pior de todas as mortes por obediência e amor, para que, por meio do seu trabalho doloroso, pudesse resgatar o mundo dos seus pecados. Se cremos, podemos ter vida hoje mesmo, viver a vida de Deus desde já, a vida eterna, comprada pelo sacrifício de uma vida que entendeu a sua missão.

Quantos neste mundo, em sua teimosia, vagueiam sem rumo  porque rejeitam a verdade e pensam que podem viver segundo os seus próprios desejos pecaminosos e, ainda assim, terminar bem. Se até o final se arrependerem,  enquanto em vida, e reconhecerem a verdade, a misericórdia de Deus é tão ilimitada que os recebe como filhos e lhes dá direito à herança eterna. Isso não é religião, é o padrão para entrar no reino de Deus: crer e se arrepender dos seus pecados porque todos os homens pecaram e o salário do pecado é a morte. Rm 3.23; 6.23.

A escolha mais acertada é descobrir e decidir viver o plano de Deus para a própria vida hoje: observar as Escrituras e procurar viver a ética do Reino, agradando a Deus e se submetendo a sua vontade em todas as coisas. E, no final da caminhada, poder dizer como Jesus: Glorifiquei o teu nome na terra, escolhendo fazer a tua vontade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *