Ganhando o mundo e perdendo a alma!

Vivemos em um mundo de valores distorcidos, no qual vale o que tem mais ou o que dá mais. As pessoas são medidas pelo que têm e não pelo que são. Todos somos vítimas desse sistema e assédio mundanos.
Até o Filho de Deus teve que suportar a oferta de satanás para desviá-lo da sua missão de salvador do mundo.

Todos os dias, as pessoas são bombardeadas neste mundo hostil por ofertas suntuosas e difíceis de serem rejeitadas – são caminhos fáceis, ganhos e prazeres, tudo de forma imediata e sem nenhum esforço ou obstáculos. É a tal “liberdade” dos que se dizem donos do próprio nariz, dos que desconhecem a lei ou os princípios morais e andam totalmente avessos aos valores da Palavra de Deus. São aqueles que não creem que no final do caminho, um juiz os aguardará para dar a cada um segundo as suas obras.

Qual o homem que, em sua sã consciência, trilharia um caminho fácil sabendo que no fim dele a morte o estaria esperando?  Será que ele não preferiria um caminho difícil, mas com a certeza que terminaria com um paraíso eterno? Mas, influenciados por seu senhor, os filhos das trevas têm questionado os filhos da luz sobre o fato de escolherem caminhos espinhosos para trilhar e não cansam de lhes apresentar os atrativos e as facilidades do caminho largo, em suas mais variadas formas, nos quais podem andar despreocupadamente, sem regras ou limites que porventura possam frustrá-los. Só que a escolha não deve ser baseada nas ilusões ou efeitos mágicos e imediatistas da vida, mas  no seu destino final. A pergunta que deve ser feita é para onde estou indo? Não importam os desafios da caminhada, mas aonde quero chegar? O caminho da vida é uma escolha da sabedoria, infelizmente a sabedoria não pertence a todos.

Para os insensatos, os que preferem viver despreocupadamente, nunca medem as consequências dos seus atos. Para eles, o ganho do momento é o que importa, Muitos, conscientemente, compactuam com as trevas em prol de migalhas de prazer passageiro. Os sábio escolhe a vida, não importa quão  desafiador e acidentado seja o caminho, ele busca coisas maiores e de incomparável valor. “Para o sábio, o caminho da vida é para cima, para que ele se desvie do inferno que está embaixo”. Não é surpreendente que a maioria tenha escolhido a morte. As coisas de maior valor sempre são mais difíceis  de serem conquistadas. O caminho da vida é uma rota que sempre exigirá  renúncia e negação do eu, é perder para ganhar. o sábio deslumbra  o final, o tesouro que o aguarda no fim. Para o sábio  o que verdadeiramente importa é como as coisas terminarão não como começam.

Reflitamos: “Que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma”?

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *