É possível servir a dois senhores?

Sabemos que as trevas têm assolado o mundo e penetrado no coração dos homens. Há uma batalha infindável, entre o reino das trevas e o reino da luz, disputando a vida de cada ser humano deste planeta. O objetivo é único: arregimentar vidas para a eternidade, para a morte ou para a vida, para condenação ou salvação
Há aqueles que deliberadamente servem ao príncipe das trevas, e outros que se posicionam determinantemente sob o domínio do Rei da Glória. Esses são reféns de suas escolhas e estão sob o senhorio do senhor que escolheram para servir. Infelizmente, há os que que têm o coração dividido, ora servem a Deus ora a satanás, estão em cima do muro, dizem pertencer a Deus, mas não abrem mão das coisas disponíveis e reprováveis das trevas.

As sutilezas do mundo espiritual são mais sérias do que se pensa. Nada sai barato quando alguém diz que quer Deus, e até se posiciona no seu reino, mas, de vez em quando, dá uma saidinha para passear no outro reino. O seu senhor costuma fazer prisioneiros de todos que passam por lá, pelo reino das trevas.  Se temos clareza sobre Deus e o significado do seu Reino, precisamos aprender a renunciar tudo o que está fora dele, a aprender a negar o próprio eu, a tomar a própria cruz e não ter nem a própria vida por preciosa. Precisamos aceitar incondicionalmente os valores do Reino de Deus que estão em sua Palavra, sem qualquer dúvida ou contestação. Tudo tem seu preço, servir a satanás tem um preço, servir a Deus também tem seu preço, mas as nossas escolhas revelam o nosso nível de sabedoria, o que verdadeiramente somos e, o mais importante, determinarão o lugar que estaremos no futuro.

O caminho da luz é estreito, espinhoso, não é nada atraente, mas ele conduz aos mistérios de Deus e a uma vida eterna plena da sua presença e de toda glória que se possa imaginar. Tem um final sem qualquer vestígio de dor, tristeza ou sofrimento, mas de gozo em sua total plenitude.
O caminho das trevas pode ser atrativo, de desejos satisfeitos de imediato, de prazeres carnais ilusórios, de fama, de poder, de fascinação, mas o final dele é morte, dor, tristeza e desespero.

O caminho largo é repleto de sutilezas e iscas para atrair e enganar os desavisados e, até mesmo, os andantes do caminho da luz, e muitos são atraídos e tragados pelo seus jogos e brinquedos. Ilusoriamente, muitos imaginam poder usufruir dos dois reinos ao mesmo tempo ou poder estar sob o domínio dos dois senhores. Deseja-se o final do caminho estreito, mas não se despensa os prazeres momentâneos do caminho largo. Jesus disse que não se pode servir a dois senhores, não se pode amar a Deus e ao diabo, não tem como fazer a vontade de Deus e do príncipe das trevas ao mesmo tempo. Se alguém ama a um, é obrigado a odiar o outro. Se servir a um, obviamente, não serve ao outro. Não se pode continuar no caminho largo e fugir do seu final que é a ira vindoura.
Hoje, a oportunidade está, mais uma vez, lançada diante de todos: Escolha a quem servir. Se você acha que Deus é Deus, deve servi-lo sem reservas  e somente a Ele! Se alguém quer servir ao príncipe das trevas, é livre para fazê-lo. Eu escolho o Reino da Luz, escolho Deus, eu e a minha casa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *